Blog

Impostos diretos e indiretos: entenda a diferença

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já ouviu falar sobre os impostos diretos e indiretos? Esse é um conceito que pode deixar muitos profissionais confusos – principalmente considerando um sistema tributário que ainda inclui outros tributos, como taxas e contribuições.

No fim das contas, as empresas precisam lidar com dezenas de tributos na execução das atividades. Entretanto, conhecer um pouco melhor sobre o funcionamento de cada um deles é importante para que as obrigações sejam respeitadas adequadamente.

Neste artigo, vamos entender qual é a diferença entre impostos diretos e indiretos. Confira!

O que são os impostos?

Os impostos são os principais tributos de uma empresa. Eles são encargos financeiros que incidem sobre o patrimônio, a renda e o consumo. Sua principal característica é a não vinculação, sendo cobrados independentemente de qualquer serviço prestado pelo Estado.

Os principais impostos pagos pelas empresas brasileiras podem ser divididos de acordo com o destino da arrecadação:

É importante destacar que os impostos estão inclusos no grupo dos tributos – que representam as exigências obrigatórias que devem ser pagas em dinheiro, não podem ser estabelecidas como punição por um ato ilícito e devem estar prevista em lei.

Além dos impostos, também são tributos as taxas e contribuições:

  • Taxa: é um tributo vinculado a uma prestação de serviço pelo Estado, que coloca à disposição dos contribuintes determinados serviços – como iluminação pública ou coleta de lixo. Entre as suas principais características estão a divisibilidade (cada usuário utiliza o serviço individualmente) e a especificidade (é possível apontar exatamente qual é o serviço prestado).
  • Contribuição de melhoria: é um tributo pouco usado, que deve estar vinculado a uma contraprestação estatal. Ele incide quando o governo faz uma obra pública que gera valorização imobiliária, tendo como limite total a despesa realizada e como limite individual o acréscimo de valor que, da obra, resultar para cada imóvel beneficiado.
  • Contribuição especial: é um tributo que pode ser instituído pela União com uma finalidade específica. Entre os principais exemplos estão as Contribuições Sindicais e Contribuições Sociais (PIS/PASEP).
Impostos diretos e indiretos
Foto de Mikhail Nilov no Pexels

Impostos diretos e indiretos

Dentro do grupo dos impostos, é possível fazer uma divisão entre impostos diretos e indiretos. Veja só quais são suas principais características:

  • Imposto direto. O imposto direto estabelece uma relação direta entre a sua cobrança e a renda do contribuinte. Um ótimo exemplo disso é o imposto de renda: quanto maior a renda, maior o tributo.
  • Imposto indireto. O imposto indireto tem o seu valor cobrado no produto ou no serviço, sendo coletado pelos produtores ou vendedores – que repassam os custos para os consumidores no preço de venda. Um ótimo exemplo disso é o ISS, um imposto municipal que incide sobre prestações de serviço.

Principais impostos diretos

Os principais impostos diretos incluem:

  • Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF);
  • Imposto sobre Proprietários de Veículos Automotivos (IPVA);
  • Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Principais impostos indiretos

Os principais impostos indiretos incluem:

  • Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

Como esses impostos afetam as empresas?

Todos os impostos têm um impacto direto nas empresas. Eles demandam atenção do setor fiscal e consomem uma parte do orçamento anual das organizações.

Por isso, é essencial que exista um bom planejamento em relação aos impostos que devem ser pagos. E isso se torna ainda mais impostante quando falamos dos impostos indiretos – que possuem maior complexidade e refletem também no preço de venda para o consumidor.

Ou seja, é preciso que exista uma boa relação com as obrigações fiscais e tributárias da empresa. Com isso, torna-se possível se antecipar às exigências e lidar melhor com esses custos – tanto internamente quanto na relação com os clientes.

Pagamento de tributos

Domine os impostos e alcance o compliance fiscal

E aí, você entendeu a diferença entre impostos diretos e indiretos? Esse conceito é apenas um dos tantos assuntos que demandam atenção quando falamos sobre as obrigações tributárias, não é?

Com a combinação dos conhecimentos certos e tecnologia de ponta, é mais fácil manter o compliance fiscal na sua empresa. E a Dootax possui as soluções digitais ideais para automatizar processos e facilitar o recolhimento de todos os tributos.

Quer entender melhor como funciona a tecnologia de pagamento automático de tributos? Então, faça a leitura deste artigo que preparamos para você!

(Visited 5 times, 1 visits today)
Compartilhe
Sobre o autor

Alessandra Muniz

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Documento de Arrecadação Estadual – DAE, DARE, DAR e outros
Documento de Arrecadação Estadual – DAE, DARE, DAR e outros

O Documento de Arrecadação Estadual, tem nomes variados de acordo com cada UF, como DAE, DARE, DAR, DUA, DARJ e etc, saiba mais sobre eles aqui.

Baixe o e-book “Agilize Processos Fiscais”
Baixe o e-book “Agilize Processos Fiscais”

Baixe o ebook produzido pela Dootax e aprenda como otimizar os processos fiscais complexos de sua empresa.

História dos impostos
História dos impostos

Ao longo deste artigo vamos compreender melhor a história dos impostos no Brasil e no mundo. Acompanhe.

Escritórios
 
 
 
Simples Nacional