Blog

Quais são as obrigações fiscais de uma empresa?

Tempo de leitura: 3 minutos

Todas as empresas brasileiras precisam ficar atentas às obrigações fiscais para garantir a continuidade das suas operações sem complicações. Entretanto, para cumprir todas as obrigações é fundamental conhecê-las profundamente, não é?

É a partir disso que sua organização consegue manter uma boa relação com o Fisco. Mais do que isso, também é uma ótima forma de reduzir custos e manter a tranquilidade no departamento fiscal.

Quer descobrir quais são as obrigações fiscais que a sua empresa precisa cumprir? Então, confira logo a seguir!

Obrigações fiscais
Negócio foto criado por pressfoto – br.freepik.com

As principais obrigações fiscais de uma empresa

As obrigações fiscais representam as exigências legais relacionadas ao pagamento de tributos, preenchimento de cadastros, prestação de contas, envio de declarações e outras questões para se manter em dia com o Fisco.

As obrigações fiscais podem sofrer alterações conforme o regime tributária, atividade desenvolvida e outras características da empresa. Entretanto, podemos destacar as principais obrigações que se aplicam a grande parte das organizações.

Veja quais são essas obrigações fiscais:

Emissão de notas fiscais

A primeira das obrigações fiscais que todas empresas precisam encarar é a emissão da nota fiscal – que é o documento que comprova a venda de produtos ou prestação de serviços. Sempre que a organização fecha uma venda, é preciso emitir uma NF-e com todas as informações exigidas.

Pagamento de impostos

As empresas brasileiras sabem bem como precisam recolher tributos no desenvolvimento de suas atividades. E, por conta da complexidade tributária no Brasil, essa é uma das obrigações fiscais que merecem atenção especial.

Os impostos mais comuns nas obrigações fiscais das empresas são:

  • ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza);
  • ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços);
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • INSS (Instituto Nacional do Seguro Social);
  • PIS (Programa de Integração Social);
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);
  • IRPJ (Imposto de Renda para Pessoa Jurídica).

É importante lembrar que os tributos que devem ser pagos – e suas particularidades – variam conforme o enquadramento tributário. Ou seja, empresas do Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido podem lidar com diferenças nos processos de recolhimento dos impostos.

Declarações de recolhimento de tributos

Depois do pagamento dos tributos, ainda é preciso enviar diversas informações aos órgãos fiscais, previdenciários e trabalhistas. As declarações exigidas podem variar conforme cada negócio, mas as principais são:

  • DEFIS (Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais);
  • Declaração de Inativa;
  • DASN-SIMEI (Declaração Anual do Simples Nacional – Microempreendedor Individual);
  • ECF (Escrituração Contábil Fiscal)
  • DIRF (Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte);
  • DCTF (Declaração de Débitos Tributários Federais).

Como cumprir as obrigações fiscais?

Acabamos de ver quais são as principais obrigações fiscais, mas como garantir o cumprimento delas?

Além de ter conhecimento sobre as exigências do Fisco e reunir uma equipe capacitada, os gestores também podem buscar o auxílio da tecnologia que está à disposição. As soluções digitais permitem criar uma integração entre as informações fiscais – que precisam estar corretas na emissão da nota fiscal, geração das guias para pagamento de tributos e em todas outras obrigações fiscais e contábeis.

A automação de processos fiscais contribui para que isso seja colocado em prática. Quanto menos a empresa depender dos processos manuais, menores são as chances de ocorrência de erros nos procedimentos fiscais e tributários.

Atualmente é muito difícil controlar todas obrigações existentes e mudanças na legislação manualmente. Por outro lado, uma solução digital automatiza esses procedimentos e simplifica as atividades do departamento fiscal.

Aplicando a tecnologia dentro do departamento fiscal, torna-se possível obter uma série de vantagens:

  • Redução do tempo gasto na realização de tarefas manuais ou repetitivas;
  • Precisão nos cálculos;
  • Facilidade em monitorar todos os compromissos fiscais ao longo do ano;
  • Consistência e previsibilidade nos resultados obtidos com a automação;
  • Aumento da produtividade de todo o departamento fiscal;
  • Redução de custos no desenvolvimento dos processos internos;
  • Melhoria da qualidade das informações obtidas;
  • Redução das chances de erros e falhas;
  • Em caso de turnover, o treinamento do novo profissional/equipe é reduzido drasticamente.
Emissão de guias

Fique em dia com o Fisco!

As obrigações fiscais não precisam ser um bicho de sete cabeças. Reunindo o conhecimento certo com as tecnologias de ponta, você pode garantir que sua empresa fique sempre em dia com o Fisco.

Você gostou das informações sobre as obrigações fiscais? Quer descobrir mais sobre o papel da tecnologia? Então, venha conferir como a Dootax pode auxiliar sua área fiscal!

(Visited 21 times, 1 visits today)
Compartilhe
Sobre o autor

Alessandra Muniz

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Adesão ao DTE: como fazer e quais as vantagens?
Adesão ao DTE: como fazer e quais as vantagens?

Sua empresa já fez a adesão ao DTE? Saiba como realizar esse processo e os riscos e benefícios de optar pelo Domicílio Tributário Eletrônico.

DCTFWeb substitui a GFIP no âmbito da Receita Federal
DCTFWeb substitui a GFIP no âmbito da Receita Federal

A DCTFWeb substitui a GFIP no âmbito da Receita Federal do Brasil, gerando simplificação para os contribuintes.

Principais erros de CTe e como evitar
Principais erros de CTe e como evitar

Saiba como evitar os principais problemas relacionados ao Conhecimento de Transporte eletrônico (CTe).

Escritórios
 
 
 
Simples Nacional