Reforma tributária: a luz de uma nova forma de tributação foi acesa 

Por:
2 minutos de leitura
Nova forma de tributação

NESTE ARTIGO VOCE VAI VER:

Com a aprovação da reforma tributária, foi acesa a luz de uma nova forma de tributação, mas ainda há muitas incertezas em relação à transição.

Deseja baixar o artigo em PDF?

Finalmente, a reforma tributária foi aprovada na Câmara dos Deputados e agora segue para tramitação no Senado Federal. Uma pauta que se arrastava por mais de 30 anos avançou em menos de uma semana. Enfim, a luz de uma nova forma de tributação foi acesa, e a imagem abaixo, do filme “Procurando Nemo”, ilustra bem o que está por vir: 

Cena do filme ‘Procurando Nemo’ (Pixar/Reprodução)

O projeto de reforma tributária, que teve início com o CCiF e posteriormente se transformou na PEC 45/2019, resultou em um texto constitucional perigoso para uma nova forma de tributação. O idealizado Imposto sobre Valor Agregado (IVA) moderno acabou se tornando um IVA dual de sucesso duvidoso, além de ter impactado o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). 

O texto é vago e deixa diversas definições importantes para serem regulamentadas por meio de leis complementares, o que torna as futuras alterações mais fáceis de serem aprovadas. É exatamente aí que mora o perigo, pois se nossos legisladores não agirem de forma razoável – e, convenhamos, não temos muitos exemplos de legisladores razoáveis no Congresso –, podemos trocar um caos tributário por outro.

Um ponto crucial que já não é totalmente claro no texto da lei é se o CBS (o IVA federal) poderá ser desconsiderado pelo IBS (o IVA dos estados e municípios), o que pode resultar em uma nova disputa judicial a ser resolvida pelo STF. 

A transição para uma nova forma de tributação

A questão da transição também é um ponto de preocupação. Durante seis anos, em vez de lidar com cinco impostos, as empresas podem se ver diante de oito impostos diferentes, tendo que controlar e pagar uma série de apurações distintas.

O imposto seletivo, apelidado pela imprensa de “imposto do pecado”, também levanta muitas dúvidas. Afinal, o que constitui produtos nocivos à saúde, à sociedade e ao meio ambiente? Será que um simples chocolate pode ser considerado nocivo à saúde e ao meio ambiente? Praticamente tudo o que produzimos tem algum impacto ambiental. Além disso, há outros pontos que geram mais incertezas e medos do que esperanças. 

Existe o receio de que a transição para um novo sistema tributário possa levar de um sistema já considerado horrível a outro ainda mais problemático, o que poderia resultar em consequências como o aumento de preços, uma inflação em crescimento, uma maior concentração de renda nos estados do Sul e Sudeste, além do empobrecimento da população do país. 

Não há dúvida de que a aprovação da reforma tributária na Câmara dos Deputados representa um avanço. Mas alguns pontos presentes no texto aprovado suscitam preocupações, demandando cautela no processo de implementação. 

Para ficar por dentro das principais novidades sobre a reforma tributária, continue acompanhando nosso blog e siga a Dootax nas redes sociais.

Visited 461 times, 1 visit(s) today

Quer saber como podemos ajudar você no recolhimento de tributos?

Preencha o formulário e converse com nossos especialistas.

1
2

VEJA TAMBÉM

Tempo de leitura: 3 min Neste artigo você vai conferir como gerar guia GNRE mais rápido para obter um salto de desempenho. Acompanhe!

Newsletter

Quer receber os melhores conteúdos fiscais
diretamente no seu e-mail?

Sua empresa vai pagar mais ou menos impostos?