DTE: O que é Domicílio Tributário Eletrônico?

Por:
5 minutos de leitura
Domicílio Tributário Eletrônico

NESTE ARTIGO VOCE VAI VER:

Venha entender melhor o que é Domicílio Tributário Eletrônico (DTE) e como ele pode simplificar a comunicação entre órgãos oficiais e a sua empresa.

Deseja baixar o artigo em PDF?

O Domicílio Tributário Eletrônico (DTE) é um assunto que vem ganhando mais atenção dentro do departamento fiscal das empresas brasileiras. Com a possibilidade de facilitar o recebimento das comunicações do governo, as organizações podem acelerar processos e correr menos riscos.

A criação do Domicílio Tributário Eletrônico foi uma das mudanças promovidas para modernizar a relação entre os contribuintes e o poder público. Em vez de depender das intimações por cartas registradas, agora é possível fazer uma comunicação em formato digital.

Na prática, o DTE permite que o contribuinte seja intimado para apresentar defesas e tomar ciência de atos administrativos por meio de uma caixa postal disponível na internet. Basta saber como utilizar corretamente essa plataforma.

Neste artigo vamos entender melhor o que é Domicílio Tributário Eletrônico, como optar pelo DTE e as vantagens e desvantagens dessa adesão. Confira!

o que é domicílio tributário eletrônico

O que é Domicílio Tributário Eletrônico?

O Domicílio Tributário Eletrônico, também conhecido como DTE, é uma plataforma criada pelo governo para servir como canal principal de comunicação com o contribuinte. Por meio de uma caixa postal online, os contribuintes podem acessar as mensagens e cobranças oficiais do governo.

A previsão legal para o DT-e está no art. 23 do Decreto 70.235/72 – que foi incluído pela Lei nº 11.196, de 2005:

Art. 23. Far-se-á a intimação:

(…)

III – por meio eletrônico, com prova de recebimento, mediante:

a) envio ao domicílio tributário do sujeito passivo; ou

b) registro em meio magnético ou equivalente utilizado pelo sujeito passivo.

Com base nesse dispositivo, a intimação por meio eletrônico passa a ser um forma de intimação válida – juntando-se às formas que já existiam: pessoal, por via postal ou telegráfica.

Domicílio Tributário Eletrônico
Negócio foto criado por katemangostar – br.freepik.com

Mudanças proporcionadas pelo Domicílio Tributário Eletrônico

O grande destaque do Domicílio Tributário Eletrônico é a possibilidade de receber notificações e intimações do poder público sem depender da comunicação via postal ou pessoal. Com isso, o fluxo de comunicação se torna mais ágil e eficiente.

O Domicílio Tributário Eletrônico permite uma maior eficiência na comunicação entre Fisco e contribuinte, evitando atrasos e extravios de documentos e agilizando o processo de análise e resolução de questões fiscais. Além disso, oferece mais transparência e segurança no processo de comunicação, garantindo que as informações fiscais sejam transmitidas de forma clara.

Apesar de ser um grande avanço para simplificar processos, a adesão ao Domicílio Tributário Eletrônico é facultativa em âmbito federal – mas o credenciamento é obrigatório em âmbito estadual e municipal. Isso acontece porque o ente da administração tributária tem liberdade para regulamentar e disciplinar a forma de adesão ao serviço para os contribuintes.

Porém, existe uma grande ressalva sobre a facultatividade de adesão ao DTE no âmbito federal: o contribuinte que acessa o portal e-CAC para utilizar determinados serviços de forma eletrônica passa a ser obrigado a usar o Domicílio Tributário Eletrônico.

Tipos de comunicações recebidas pelo DTE

O Domicílio Tributário Eletrônico é um canal que reúne e armazena as comunicações eletrônicas enviadas pelos órgãos públicos. Isso pode incluir notificações, intimações, avisos, comunicados para autorregularização, recibos relacionados ao cumprimento de obrigações acessórias e outros assuntos.

Quais as vantagens de aderir ao Domicílio Tributário Eletrônico?

A criação do Domicílio Tributário Eletrônico proporcionou mais agilidade às empresas em relação à burocracia e a morosidade dos processos baseados no envio de cartas registradas.

Contudo, é importante se atentar a gestão efetiva do DTE, pois, com as correspondências digitais, a empresa tem de tomar ciência de processos ou notificações que podem estar sendo empregadas a ela.

Confira abaixo alguns benefícios de fazer a adesão ao DTE:

  • Acesso a vários serviços que antes exigiam o deslocamento até a repartição pública;
  • Redução no tempo gasto com trâmite de processos administrativos digitais;
  • Economia e celeridade processual;
  • Segurança contra extravio de correspondência;
  • Garantia do sigilo fiscal.

No entanto, acessar todos os portais para verificar a existência de correspondências é algo trabalhoso e passível de erros humanos, como esquecimento ou falta de atenção. Por isso, os benefícios de aderir ao DTE se tornam ainda maiores com a automatização da gestão de Domicílio Tributário Eletrônico – garantindo o máximo de eficiência.

Como fazer adesão ao Domicílio Tributário Eletrônico?

O primeiro passo para ter acesso a esse formato eletrônico de comunicação é fazer a adesão ao DTE – que é um processo online muito simples. Basta acessar a plataforma equivalente ao Domicílio Tributário Eletrônico de acordo com o estado ou município em que a organização está localizada.

Após isso, as intimações passam a ser realizada em formato digital. As Prefeituras, Secretarias de Fazenda Estaduais e Federal podem migrar a comunicação para esse formato – mas com o uso de plataformas diferentes para cada uma dessas esferas.

Para exemplificar, veja como funciona a adesão ao DTE para ciência de atos oficiais enviados pela Receita Federal:

  1. Para adotar o DTE, o contribuinte precisa ter a certificação digital e acessar o Portal e-CAC;
  2. Acesse os “Serviços disponíveis” no Portal e-CAC;
  3. Procure pelo menu “Outros”;
  4. Faça a opção pelo Domicílio Tributário Eletrônico.

Riscos e desafios de não acessar o DTE regularmente

Acabamos de ver que a adesão ao Domicílio Tributário Eletrônico é um processo muito simples, certo? Entretanto, precisamos considerar os riscos e desafios envolvidos nas consultas ao DTE.

Isso acontece especialmente por conta de duas características:

  • Várias caixas postais para acompanhar. A intimação realizada por meio do DTE pode ser realizada pelas Prefeituras, Secretarias de Fazenda Estaduais e Federal – com o uso de plataformas diferentes para cada uma dessas esferas. Portanto, é preciso ficar de olho em diversos portais diferentes.
  • Presunção de conhecimento dos fatos. Após o credenciamento do contribuinte no sistema, os prazos processuais começam a correr a partir do envio da intimação em formato digital – mesmo que o contribuinte não acesse a mensagem e não tenha conhecimento sobre o seu conteúdo. Ou seja, é preciso ficar muito atento para não perder os prazos recursais por conta dessa presunção de conhecimento dos fatos.

Como trouxemos anteriormente, a gestão de Domicílio Tributário Eletrônico pode ser prejudicada por sofrer interferência humana passível de erros. Outro ponto importante é justamente o fato de que, quando não automatizada, a gestão seja feita manualmente.

Dessa forma, para conferir todas as correspondências, é necessário acessar diversos sites e portais diferentes, demandando muitas horas de trabalho.

Nesse cenário, podemos elencar os principais desafios da gestão de Domicílio Tributário Eletrônico:

  • Necessidade de acessar a caixa postal eletrônica frequentemente;
  • Prazos começam a correr a partir do envio da notificação – mesmo se o contribuinte não visualizou o conteúdo da correspondência;
  • Gasto de tempo do trabalho para acesso ao DTE;
  • Necessária maior integração entre os setores contábil, fiscal e jurídico de uma empresa.

Como simplificar a gestão de Domicílio Tributário Eletrônico?

Agora que você já sabe o que é Domicílio Tributário Eletrônico e os desafios que a adesão proporciona, é importante entender que ele requer acompanhamento constante para que sua empresa não perca nenhum prazo importante.

Sendo assim, a maior desvantagem do DTE é a possibilidade de perder prazos, especialmente para quem não tem o costume de acessar a caixa postal diariamente.

A boa notícia é que existe uma solução para simplificar o acesso ao Fisco e se manter atualizado – mesmo em empresas que têm diversos Domicílios Tributários Eletrônicos.

Com o Dootax Caixa Postal Fiscal, é possível centralizar todos os Domicílios Tributários Eletrônicos e receber alertas de notificações importantes. Assim, sua empresa evita perdas de prazos das comunicações do governo.

Além da facilidade de visualizar mensagens em um só lugar, sua empresa passa a contar com a possibilidade de escolher o momento de dar ciência nas mensagens – ganhando prazo para atender às solicitações do Fisco.

Veja tudo o que você encontra no Dootax Caixa Postal Fiscal:

  • Gestão otimizada: gerencie seus DTEs em tempo recorde.
  • Produtividade: economize tempo para realizar as tarefas mais importantes.
  • Notificação estratégica: dê ciência no momento que achar mais adequado.
  • Centralização: acesse suas mensagens em um só lugar e facilite a comunicação entre as áreas.
  • Redução de custos: economize e reduza o custo homem-hora (FTE).
  • Compliance fiscal: não perca o prazo das comunicações do governo.
  • Segurança: nunca mais tenha comunicações extraviadas.

Gostou de saber mais sobre o que é Domicílio Tributário Eletrônico e como fazer a adesão ao DTE? Continue aprendendo sobre o assunto e descubra como consultar DTE automaticamente.

Visited 1.338 times, 2 visit(s) today

Quer saber como podemos ajudar você na gestão dos DTEs?

Preencha o formulário e converse com nossos especialistas.

1
2

VEJA TAMBÉM

Tempo de leitura: 3 min O acesso ao DTE não precisa ser complicado. Descubra como a tecnologia pode simplificar essa tarefa e proporcionar mais organização na sua rotina fiscal.

Tempo de leitura: 3 min Veja agora como gerenciar DT-e de forma simples, economize seu tempo e nunca mais perca um prazo do governo.

Newsletter

Quer receber os melhores conteúdos fiscais
diretamente no seu e-mail?