Blog

Impostos sobre o comércio varejista: conheça os principais

Tempo de leitura: 3 minutos

Criar uma visão clara em relação aos impostos sobre o comércio varejista é um grande desafio para os gestores. Em um sistema tributário marcado pela complexidade, pode ser difícil entender exatamente quais tributos devem ser pagos – e as particularidades de cada um deles.

Entretanto, não tem como fugir: o impostos sobre o comércio varejista devem ser pagos corretamente para evitar complicações. E quanto melhor for a maneira como a empresa lida com os tributos, menores serão suas despesas e maior será a produtividade do departamento fiscal.

Quer conhecer melhor os impostos sobre o comércio varejista e seu funcionamento? Confira logo a seguir!

Afinal, quais são os impostos sobre o comércio varejista?

Veja quais são os principais impostos sobre o comércio varejista:

  • IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica;
  • PIS – Contribuição para o Programa de Integração Social;
  • Cofins – Contribuição Social sobre o Faturamento das Empresas;
  • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • INSS – Instituto Nacional do Seguro Social.

Além desses impostos, é importante destacar que existem outros tributos que podem incidir sobre as operações – como o IPVA para empresas que possuem veículos, IPTU sobre o valor do imóvel, entre outros tributos relacionados a operações específicas.

Entre esses impostos, certamente destaca-se o ICMS – que incide sobre todas as vendas feitas no varejo. Para empresas que possuem grandes movimentações de mercadorias, recolher guias de ICMS é uma rotina bastante comum.

Calculadora de Tempo Desperdiçado

Qual é o valor dos tributos no comércio varejista?

Acabamos de ver os impostos sobre o comércio varejista. Mas quanto uma empresa desse setor paga em tributos?

A resposta para essa pergunta pode ser bastante complexa, pois depende de muitos fatores – especialmente seu faturamento e regime tributário. Na verdade, é exatamente a escolha do regime tributário que define como será feito o pagamento de impostos para o ano-calendário.

  • Simples Nacional. As empresas do Simples Nacional apresentam faturamento anual de até R$ 4,8 milhões e recolhem os tributos por meio de uma única guia. Nesse regime é mais fácil visualizar o total pago em tributos – com alíquotas efetivas de tributação que podem variar de 4% a 19%.
  • Lucro Presumido. O Lucro Presumido é um regime tributário que pode ser usado pelas empresas que faturam acima do limite do Simples, mas não ultrapassam o limite anual de R$ 78 milhões. Nessa forma de tributação, as empresas devem fazer o pagamento do ICMS, ICMS ST, ISS, IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, etc., de forma individualizada.
  • Lucro Real. Por fim, o Lucro Real é o regime tributário usado pelas empresas de grande porte, especialmente para empresas com receita anual superior a R$ 78 milhões. Suas características são muito semelhantes às do Lucro Presumido, mas as empresas precisam ter ainda mais cuidado, pois os impostos incidem sobre o lucro efetivo apurado nas demonstrações contábeis e financeiras.

Como lidar com a tributação no varejo?

Agora que você já conhece os impostos sobre o comércio varejista e suas formas de tributação, pode estar se perguntando como lidar da melhor forma com a tributação na sua empresa. Por isso, preparamos algumas dicas para você:

Faça um estudo detalhado

A primeira grande dica é fazer um estudo detalhado para diagnosticar a real situação da sua empresa. Isso inclui uma verificação de quais tipos de tributos são aplicáveis, identificação de benefícios e análise dos processos internos do setor fiscal.

Escolha o melhor regime tributário

Vimos que existem três regimes tributários que podem ser usados pelas empresas do varejo. Cada uma das modalidades possui seus prós e contras que vão variar conforme a realidade de cada empresa. Portanto, é fundamental que seja feita uma análise para identificar a forma mais vantajosa de tributação.

Invista no planejamento tributário

O planejamento tributário é uma estratégia para reduzir a carga tributária de uma empresa em conformidade com a lei. Na prática, ocorre um estudo sobre todas as obrigações tributárias – incluindo seus fatos geradores, alíquotas ou obrigações acessórias – para encontrar as alternativas mais benéficas.

Busque auxílio da tecnologia

Por fim, você pode se beneficiar muito do uso da tecnologia no departamento fiscal. São vários os recursos de soluções digitais que podem ajudá-lo a automatizar processos e obter ganhos de tempo e recursos.

Impostos sobre o comércio varejista
Imagem de Alexas_Fotos por Pixabay

Pronto para lidar com os impostos sobre o comércio varejista?

Vimos neste artigo quais são os principais impostos sobre o comércio varejista, como ocorre a tributação e algumas dicas para obter os melhores resultados. Em especial, a tecnologia pode transformar a realidade da tributação no seu negócio – permitindo que você automatize rotinas de pagamento de tributos, armazenamento de documentos fiscais e muito mais.

Você quer entender melhor como as soluções digitais impactam positivamente a sua empresa? Então, leia também: Guia tributária – como pagar rapidamente?

(Visited 58 times, 1 visits today)
Compartilhe
Sobre o autor

Alessandra Muniz

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Pix para empresas: como funciona?
Pix para empresas: como funciona?

Quer entender melhor como funciona o Pix para empresas? Veja como essa tecnologia está revolucionando os processos de pagamentos financeiros.

Reforma Tributária: Diferenças entre PEC 45 e sistema atual
Reforma Tributária: Diferenças entre PEC 45 e sistema atual

Entenda quais são as principais diferenças entre as propostas da PEC 45 e o sistema tributário atual do Brasil.

Elisão fiscal não é sonegar impostos
Elisão fiscal não é sonegar impostos

Elisão fiscal é o termo utilizado ao conjunto de estratégias que podem ser usadas para reduzir a carga tributária. Saiba mais!

Escritórios